PROPORÇÕES IMPORTANTES: O cão é retangular em seu contorno e é ligeiramente mais longo que alto. (O comprimento do cão é 11% maior que a altura dele). O comprimento da cabeça atinge 36% da altura da cernelha.
 
COMPORTAMENTO / TEMPERAMENTO: Guardião de propriedade, da família e do gado; é extremamente ágil e obediente. No passado, foi utilizado para guardar o gado e caçar animais grandes.
 
CABEÇA: Larga e tipicamente molossóide. Uma ligeira convergência dos eixos longitudinais superiores do crânio e do focinho, mas sem rugas evidentes.
 
REGIÃO CRANIANA
Crânio: Largo no nível dos arcos zigomáticos, sua largura é igual ou maior do que seu comprimento. Convexo na fronte, e se achata ligeiramente atrás da testa até o occipital. O sulco médio frontal é visível, começando no ‘stop’ e terminando aproximadamente no meio do crânio.
Stop: Bem definido, com seios frontais proeminentes.
 
REGIÃO FACIAL
Trufa: Preta. Uma máscara cinza tem uma trufa de cor da mesma nuance. Trufa larga, com narinas amplamente abertas. Trufa localizada na mesma linha que a cana nasal.
Focinho: Forte, quadrado, visivelmente mais curto que o crânio, relação crânio:focinho de aproximadamente 2:1. A parte frontal do focinho é plana; suas faces laterais são paralelas; o focinho é tão largo quanto longo. Visto de lado, é profundo. Vista de perfil, a cana nasal é reta.
Lábios: Os lábios superiores, vistos de frente, formam um “U” invertido no seu ponto de encontro; vistos de lado, pendem moderadamente. Eles cobrem a mandíbula e determinam o perfil da parte inferior do focinho.
Maxilares / Dentes: Os maxilares são muito largos, espessos e curvados. Ligeiro prognatismo inferior, mas não mais que 5 mm. A mordedura em pinça (torquês) é tolerável, mas não desejada.
Bochechas: A região massetérica é totalmente evidente, mas não bojuda.
Olhos: São de tamanho médio, ligeiramente protuberantes, mas nunca exagerado. Fecham-se em formato oval, inseridos bem separados quase na posição subfrontal. As pálpebras são bem aderentes. A cor da íris é a mais escura possível, mas de acordo com a cor da pelagem. A expressão é viva e alerta.
Orelhas: Triangulares, pendentes, de tamanho médio. Com uma ampla base, localizada muito acima dos arcos zigomáticos. As orelhas não são cortadas.
 
PESCOÇO: Forte, musculoso, tão longo quanto a cabeça. 
 
TRONCO: O tronco é ligeiramente mais longo do que a altura na cernelha. De constituição forte, mas não quadrada.
Cernelha: Pronunciada, elevada acima do nível da garupa.
Dorso: Reto, bem musculoso e firme. Lombo: Curto e forte.
Garupa: Longa e larga, ligeiramente inclinada.
Peito: Tórax bem desenvolvido em todas as dimensões, desce até o cotovelo. 
CAUDA: Natural. Inserida relativamente alta; muito grossa na raiz. Em ação, portada alta, mas nunca ereta ou enrolada.
 
MEMBROS ANTERIORES
Ombros: Longos, oblíquos, bem musculosos.
Braços: Fortes. Antebraços: Retos, muito fortes.
Carpos: Elásticos.
Metacarpos: Elásticos e apenas ligeiramente inclinados.
Patas anteriores: Patas de gato.
 
POSTERIORES
Coxas: Longas, largas, com a linha posterior da coxa convexa.
Pernas: Secas, não carnudas. Joelhos: sólidos, moderadamente angulados.
Jarretes: Moderadamente angulados.
Metatarsos: Espessos e resistentes.
Patas posteriores: Um pouco menos compactas do que as patas anteriores.
 
MOVIMENTAÇÃO: Passadas longas, trote alongado; o trote é a movimentação preferida.
 
PELE: Espessa e bem aderente.
 
PELAGEM
Pelo: Curto, brilhante, muito denso com um leve subpelo de textura vítrea. 
Cor: Preto, cinza chumbo, cinza ardósia, cinza claro, fulvo claro; vermelho cervo e fulvo escuro; cor de trigo escuro (listras em diferentes tons de fulvo ou cinza); em cães fulvos e tigrados, a máscara preta ou cinza no focinho não deve ultrapassar a linha dos olhos. Uma pequena mancha branca no peito, na ponta dos dedos e sobre a cana nasal é aceitável.
 
TAMANHO / PESO
Altura na cernelha: Machos: 64 – 68 cm.
Fêmeas: 60 – 64 cm.
Com uma tolerância de 2 cm acima ou abaixo dos tamanhos.
Peso: Machos: 45 – 50 kg.
Fêmeas: 40 – 45 kg.
Peso de acordo com o tamanho do cão.
 
FALTAS: Qualquer desvio dos termos deste padrão deve ser considerado como falta e penalizado na exata proporção de sua gravidade e seus efeitos na saúde e bem estar do cão e em sua habilidade para executar seu trabalho tradicional. 
 
FALTAS GRAVES
• Eixos superiores do crânio e do focinho paralelos ou muito convergentes; faces laterais do focinho convergentes.
• Despigmentação parcial da trufa.
• Mordedura em tesoura; prognatismo inferior maior que 5mm.
• Cauda enroscada, cauda na posição vertical.
• Acima ou abaixo do tamanho.
• Presença de ergôs.
 
FALTAS DESQUALIFICANTES
• Agressividade ou timidez excessiva.
• Todo cão que apresentar qualquer sinal de anomalia física ou de comportamento deve ser desqualificado.
• Divergência do eixo crânio-facial.
• Trufa totalmente despigmentada.
• Cana nasal muito côncava ou convexa (nariz romano).
• Prognatismo superior.
• Despigmentação parcial ou completa das pálpebras. Olhos porcelanizados(azul salpicado); estrabismo (vesgo). 
• Cauda ausente ou muito curta.
• Pelo semilongo, muito curto ou franjado.
• Todas as cores não indicadas no padrão; largas manchas brancas.
 
NOTAS:
• Os machos devem apresentar os dois testículos, de aparência normal, bem descidos e acomodados na bolsa escrotal.
• Somente os cães clinicamente e funcionalmente saudáveis e com conformação típica da raça deveriam ser usados para a reprodução.
CONFEDERAÇÃO BRASILEIRA DE CINOFILIA Filiada à Fédération Cynologique Internationale
TRADUÇÃO: Claudio Nazaretian Rossi.
PAÍS DE ORIGEM: Itália.
DATA DE PUBLICAÇÃO DO PADRÃO OFICIAL VÁLIDO: 13.11.2015.
UTILIZAÇÃO: Cão de Guarda, defesa, polícia de faro.
CLASSIFICAÇÃO F.C.I.: Grupo 2 - Pinscher e Schnauzer - Raças Molossóides - Cães Montanheses Suíços e Boiadeiros.
Seção 2.1 - Raças Molossóides, tipo Mastife. Sem prova de trabalho.
Sergio Meira Lopes de Castro Presidente da CBKC
Roberto Cláudio Frota Bezerra Presidente do Conselho Cinotécnico
Atualizado em: 12 de maio de 2017.
 
CANE CORSO ITALIANO
 
BREVE RESUMO HISTÓRICO: O seu descendente direto é antigo Molosso Romano. Anteriormente espalhada por toda a Itália, no passado recente, a raça era prevalente apenas na província da Apulia e nas regiões adjacentes do sul da Itália. Seu nome deriva do Latim “cohors”, que significa “protetor, guardião da fazenda”.
 
APARÊNCIA GERAL: De tamanho médio para grande. Cão robusto e vigoroso, contudo, com muita elegância. Músculos esguios e poderosos.
 
  • Facebook
  • Twitter
  • LinkedIn ícone social
  • YouTube
  • Instagram

© 2018 por CANIL ROMÃO D´ITÁLIA - CANE CORSO ITALIANO. Orgulhosamente criado com Wix.com +PAX+ Canil Romão D´Itália